Inquérito de conjuntura à restauração e ao comércio a retalho referente a Março de 2017
2017-05-19 17:54:00

Inquérito de conjuntura à restauração e ao comércio a retalho referente a Março de 2017

Fonte: Direcção dos Serviços de Estatística e Censos

Em Março de 2017 a situação operacional da restauração e do comércio a retalho melhorou. Verificou-se que o volume de negócios de 47% dos proprietários entrevistados da restauração registou no mês de referência um acréscimo homólogo, tendo esta proporção crescido 10 pontos percentuais face à de Fevereiro. Salienta-se que as proporções dos proprietários dos restaurantes chineses (48%), dos restaurantes japoneses e coreanos (56%) e dos restaurantes ocidentais (35%), que declararam acréscimos homólogos no volume de negócios, aumentaram 30, 25 e 10 pontos percentuais, respectivamente, em relação às proporções de Fevereiro. Por seu turno, 35% dos proprietários entrevistados manifestaram diminuições homólogas no volume de negócios, menos 17 pontos percentuais face à proporção de Fevereiro, destacando-se que as proporções dos proprietários dos restaurantes chineses, dos outros restaurantes, bem como dos restaurantes japoneses e coreanos baixaram 34, 24 e 19 pontos percentuais, respectivamente, informam os Serviços de Estatística e Censos.

Quanto ao comércio a retalho em Março, refira-se que o volume de negócios de 50% dos retalhistas entrevistados registou um aumento homólogo, esta proporção subiu 20 pontos percentuais face à de Fevereiro. Realça-se que todos os retalhistas de artigos de couro entrevistados manifestaram acréscimos homólogos no volume de negócios. Além disso, declararam aumentos homólogos 55% dos retalhistas de vestuário para adultos, 44% dos retalhistas de mercadorias de armazéns e quinquilharias, 67% dos vendedores de automóveis, bem como 63% dos retalhistas de relógios e joalharia, estas proporções superaram as proporções de Fevereiro em 35, 33, 22 e 21 pontos percentuais, respectivamente. Por seu turno, 27% dos retalhistas entrevistados manifestaram decréscimos homólogos no volume de negócios, menos 26 pontos percentuais face à proporção de Fevereiro, salientando-se que as proporções dos retalhistas de vestuário para adultos, assim como dos retalhistas de mercadorias de armazéns e quinquilharias registaram quedas significativas de 60 e 45 pontos percentuais, respectivamente, e que as proporções dos outros retalhistas, dos supermercados, bem como dos retalhistas de relógios e joalharia diminuíram 25, 22 e 21 pontos percentuais, respectivamente.

Quanto às expectativas para Abril, os proprietários do ramo da restauração previram uma estabilização dos negócios, isto é, 41% dos proprietários entrevistados projectaram a estabilização do volume de negócios, esta proporção subiu 7 pontos percentuais face à prevista para Março. Em termos do tipo de restauração, 52% dos proprietários dos outros restaurantes, 50% dos proprietários dos restaurantes japoneses e coreanos, bem como 43% dos proprietários dos restaurantes chineses previram a estabilização homóloga do volume de negócios. Simultaneamente, 25% dos proprietários dos restaurantes ocidentais e 20% dos proprietários dos estabelecimentos de comidas e lojas de sopas de fitas e canjas projectaram aumentos homólogos do volume de negócios para Abril. Contudo, 39% dos proprietários estimaram diminuições homólogas do volume de negócios, tendo esta proporção descido 8 pontos percentuais, relativamente à proporção prevista para Março, destacando-se que as proporções dos proprietários dos restaurantes japoneses e coreanos, dos restaurantes ocidentais, assim como dos restaurantes chineses baixaram 19, 10 e 9 pontos percentuais, respectivamente, face às proporções previstas para Março.

Os retalhistas do ramo do comércio a retalho previram para o mês de Abril uma melhoria ligeira dos negócios, isto é, 25% dos retalhistas anteviram aumentos homólogos do volume de negócios, mais 3 pontos percentuais face à proporção prevista para Março. De entre os diferentes retalhistas entrevistados, 80% dos retalhistas de artigos de couro, 37% dos retalhistas de relógios e joalharia, 33% dos retalhistas de mercadorias de armazéns e quinquilharias, bem como 25% dos retalhistas de vestuário para adultos projectaram acréscimos homólogos do volume de negócios. Porém, 33% dos retalhistas entrevistados previram diminuições homólogas do volume de negócios, menos 8 pontos percentuais face à proporção prevista para Março, salientando-se que as proporções dos retalhistas de vestuário para adultos, dos retalhistas de relógios e joalharia, assim como dos retalhistas de produtos cosméticos e de higiene desceram 30, 21 e 20 pontos percentuais, respectivamente, face às proporções de Março.

 Os destinatários do “Inquérito de Conjuntura à Restauração e ao Comércio a Retalho” foram seleccionados com base no volume de negócios, estando incluídos no actual inquérito 167 restaurantes e estabelecimentos similares (correspondentes a cerca de 53% das receitas do ramo) e 135 retalhistas do comércio a retalho (cerca de 70% das receitas do ramo). Os resultados do inquérito reflectem apenas a estimativa sobre a situação da conjuntura dos proprietários e retalhistas entrevistados, já que não foi realizada uma inferência global.


Volta